Saiba como as telas podem afetar sua pele

Saiba como as telas podem afetar sua pele

Saiba como as telas podem afetar sua pele

Você já passou o protetor solar para usar o computador hoje? Sim, foi isso mesmo que você leu. Essa pergunta pode não fazer sentido a princípio, mas realmente faz sentido e é pertinente.

Isso porque as telas de celulares, tablets e computadores, podem trazer sérios danos à pele. Neste post, explicamos melhor sobre o assunto. Confira.

 

Danos das telas na pele

Segundo um estudo recente, publicado pela Unilever Skincare Research, quatro dias em frente do computador equivale a aproximadamente 20 minutos de exposição no sol do meio-dia. É claro que se você ficar um dia ou outro sem proteção, não vai causar nenhum dano a sua pele. O problema é essa exposição sem proteção a longo prazo.

A luz azul emitida pela tela de gadgets, conhecida como luz visível, é capaz de penetrar na pele em um nível mais profundo do que os raios UV, causando sintomas como pigmentação, manchas da idade e linhas finas, de acordo com a pesquisa.

Os danos à pele podem provocar o envelhecimento precoce e o surgimento de manchas escuras na pele, como o melasma. A luz visível é capaz de produzir radicais livres, que provocam alterações nas células, principalmente nos melanócitos, as células da pigmentação e nos fibroblastos, responsáveis pela produção de colágeno no organismo.

Por mais que a exposição à luz visível de ambientes fechados não seja tão grave e prejudicial comparada a exposição à luz solar, diversos especialistas ressaltam que todo mundo deve se proteger, em especial pessoas que estão sob tratamentos de pele, como peeling e laser, ou que têm doenças desencadeadas pelo sol, como é o caso de quem sofre com lúpus, por exemplo.

 

Como se proteger?

A primeira é dica é simples: passar menos tempo em frente as tais telas é a melhor opção. Claro que no mundo digital isso é muito difícil. É quase impossível não mexer muito tempo no celular e além disso, muitas pessoas atualmente precisam trabalhar em frente a computadores todos os dias.

Outro problema é que maior parte dos protetores solares encontrados em farmácias e supermercados, protegem apenas contra os raios ultravioletas UVA e UVB, e não protegem da luz visível. No entanto, os filtros físicos são uma exceção que bloqueiam o efeito da luz visível na pele, refletindo e dispersando a energia da luz por meio de uma barreira física às radiações solares.

Diversos estudos também indicam que a melhor proteção para essa radiação é o uso dos protetores com cor. No entanto, é essencial lembrar que essa proteção depende sempre do tipo e intensidade dos pigmentos que dão cor à fórmula, por isso, procure sempre o seu dermatologista antes de investir no melhor protetor solar.

Já para as mulheres, uma base facial ou aquele filtro mais denso que deixa a pele branca, também ajudam, pois possuem partículas de zinco e funcionam como um filme protetor que impede que a radiação ultrapasse a pele. Além da base facial também pode ser usado pó facial ou base em pó. O ideal é que a maquiagem tenha um fator de proteção entre 10 e 20.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.